A Black Friday deste ano é nesta sexta-feira, 24, e promete chegar trazendo muitas promoções, descontos e, como é de praxe, também muitas fraudes.
Numa época tão atraente para o mercado, afinal, não é de se surpreender que lojas de mentira ou golpistas se aproveitem da disposição dos consumidores para deixá-los na mão com falsas ofertas.
Sendo assim, se você pretende fazer compras nesta Black Friday e não quer cair no golpe de ninguém, confira estas quatro dicas para identificar se uma loja online é confiável ou não.

 

1. Confira se ela consta na lista negra do Procon

 

Se você viu uma promoção muito atraente de uma loja cujo nome você nunca ouviu falar, a primeira atitude a tomar é pesquisar se este nome não está na lista negra de empresas a serem evitadas na Black Friday, organizada pela Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP).
A tal lista inclui os sites que "tiveram reclamações de consumidores registrada no Procon-SP, foram notificados, não responderam ou não foram encontrados". São mais de 500 lojas virtuais que, de acordo com o Procon, não são confiáveis o bastante para quem quer investir na Black Friday. Confira a lista aqui.

 

2. Veja o que dizem sobre ela no Reclame Aqui

 

Um dos serviços de apoio ao consumidor mais famosos do Brasil, o Reclame Aqui é uma verdadeira central de referência. Não sentiu muita confiança numa loja nova, mas conhece pessoas que já compraram por ela? Jogue o nome dessa loja na busca do Reclame aqui antes de comprar.
O site organiza as principais reclamações que outros clientes já fizeram sobre cada empresa cadastrada. É possível ver também quantas reclamações foram respondidas e quantos clientes recomendam aquela companhia para outras pessoas, apesar dos problemas. Se a tal loja não consta no cadastro do Reclame Aqui, é bom ficar alerta, porque pode ser que ela sequer exista de verdade.

 

3. Verifique se o site possui criptografia

 

Hackers mal-intencionados também podem aproveitar a Black Friday para roubar dados de cartão de crédito de clientes desavisados. Nessas horas, é bom tomar cuidado com páginas falsas criadas apenas para desviar os seus dados pessoais em golpes conhecidos como "phishing".
Quando um golpe de phishing é realmente bem feito, é difícil identificá-lo. Mas uma boa dica é prestar atenção na barra de endereços do navegador. Se lá houver o ícone de um cadeado fechado, é sinal que esta página é HTTPS e ela protege seus dados com criptografia, o que garante um nível mínimo de segurança.

Imagem ilustrativa 'https'

 

4. Compare preços e veja se a promoção é real

 

É possível também que você encontre uma promoção muito boa de uma loja razoavelmente conhecida e que você sabe que não vai ficar com seu dinheiro a troco de nada. Porém, se você nunca comprou lá, ainda resta uma sombra de desconfiança.
Se a loja é confiável, é possível que a promoção não seja. Nessas horas, vale a pena usar uma extensão de navegador que compare preços e mostre a mudança de valor de um produto naquela loja ao longo do tempo. Assim você saberá se aquela promoção é realmente vantajosa ou se é apenas "a metade do dobro".
Veja aqui como descobrir se um desconto é real ou não usando uma extensão para navegador.

 

5. Procure entrar em contato

 

Em último caso, você pode ainda tentar entrar em contato com a loja por um e-mail ou telefone. Se a empresa não possui formas de contato direto, se não te atenderem, ou se o atendimento te passar alguma insegurança em termos de profissionalismo, desconfie.
Vale lembrar que, segundo o Código de Defesa do Consumidor, toda loja virtual é obrigada a disponibilizar em um local de fácil visualização na página todos os seus dados, tais como o CNPJ da empresa (ou CPF em caso de pessoa física), endereço e outros dados. Se encontrou um site sem essas informações, passe longe.

 Fonte: Olhar Digital.